Economia

Zona Económica Especial emprega seis mil pessoas

Mais de seis mil empregos foram gerados pelas 80 empresas em funcionamento na Zona Económica Especial (ZEE), revelou ontem o presidente do Conselho da Administração, António Henriques da Silva.

27/02/2021  Última atualização 12H03
Entre as mais de 80 empresas em funcionamento, algumas são fruto do programa de privatizações © Fotografia por: Edições Novembro
Algumas empresas são decorrentes do processo de privatização em curso e outras como resultado da actividade instalada, nos últimos três anos.
Num encontro com responsáveis das empresas, Henriques da Silva disse que, nos últimos três anos, a ZEE teve, em cada exercício económico, crescentes resultados positivos. Neste momento, estão em carteira 49 projectos, dos quais sete estão concluídos e 19 em implementação. Os demais estão a ser implementados. No dia 9 de Março, vai ser lançado o Portal da ZEE, no qual as pessoas vão encontrar informações sobre emprego e as empresas vão poder anunciar vagas.

"Em 2020, apesar da crise causada pela Covid-19, tivemos um resultado positivo e, também, seremos capazes de distribuir dividendos ao Estado”, afirmou, para acrescentar que o objectivo é, cada vez mais, estabelecer uma relação de proximidade com os utentes, por formas a que as expectativas e as metas pretendidas sejam alcançadas o mais rapidamente possível.

António Henriques da Silva reconheceu que o crescimento da Zona Económica Especial resulta de uma maior atenção a determinados serviços. "Precisamos de aumentar a frequência dos transportes internos que a ZEE disponibiliza aos utentes, para que estes possam corresponder ao aumento do número de empregos que foram gerados”, disse.

Regina Handa

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política