Economia

Angola está empenhada em desburocratizar procedimentos com o comércio

Isaque Lourenço

Jornalista

Secretário de Estado Amadeu Nunes destacou, no Fórum de Negócios da CPLP, que decorre em Malabo, Guiné Equatorial, as reformas adoptadas para viabilizar as trocas com parceiros da comunidade e de outros Estados, bem como para atrair investimento estrangeiro

06/05/2021  Última atualização 19H49
© Fotografia por: DR

O secretário de Estado para o Comércio, Amadeu Leitão Nunes, considera que a melhoria do ambiente de negócios em curso no país, por meio de reformas políticas, económicas e sociais passa pela simplificação e a desburocratização dos procedimentos relacionados ao comércio externo.

Amadeu Leitão Nunes apresentou, nesta quinta-feira (6), em Malabo, uma mensagem do ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, à audiência de empresários e representantes de Governos dos outros oito Estados-membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), além de observadores de Cuba, da Alemanha e vários outros convidados.

O secretário de Estado reafirmou o compromisso de Angola com a atracção de investimento privado em condições vantajosas para todas as partes envolvidas e disse estarem em curso várias acções neste âmbito, desde a adopção da nova política de concessão de vistos, assim como a atracção de investimentos e reorganização dos órgãos de soberania.

"O país procedeu à criação de novos instrumentos legais e inovadores que incidem sobre o investimento privado e a contratação pública, assim como o processo de transferência e atribuição de competências para a governação local”, disse.

O secretário de Estado para o Comércio proferiu estas declarações ao discorrer sobre o tema "Como é que o Estado está a apoiar na atracção de investimento privado”, abordado no primeiro painel do segundo dia de realização da Cimeira de Negócios da Confederação Empresarial da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CE CPLP).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia