Mundo

Remédio espanhol reduz carga viral

Um medicamento espanhol testado em França e nos Estados Unidos demonstrou uma redução quase total da carga viral do novo coronavírus, segundo um estudo publicado ontem na revista Science.

27/01/2021  Última atualização 10H23
Forma significativa © Fotografia por: DR
Em experiências realizadas em animais com o fármaco plitidepsina, medicamento usado em tumores, o resultado foi uma eficácia anti-viral e toxicidade prometedoras, segundo a empresa que o produz.

Os autores alegam que a plitidepsina é o composto que demonstrou ser mais eficaz e defendem que deve ser experimentado em ensaios clínicos alargados. Em duas experiências em animais diferentes em que havia infecção com o Sars-Cov-2, foi alcançada uma redução de 99 por cento das cargas virais nos pulmões tratados com plitidepsina.

No artigo publicado na Science, os investigadores notam que embora a toxicidade seja uma preocupação em qualquer anti-viral, o perfil de segurança da plitidepsina em humanos está comprovado.
O medicamento age bloqueando uma proteína humana (a eEF1A) que está presente nas células e que é usada pelo novo coronavírus para se reproduzir e infectar outras células.

"Acreditamos que os nossos dados e os resultados positivos iniciais do ensaio clínico da PharmaMar sugerem que a plitidepsina deve ser seriamente considerada para ampliar os ensaios clínicos de tratamento da Covid-19”, consideram os investigadores.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política