Economia

Somoil prevê duplicar investimentos “offshore”

A Sociedade Petrolífera Angolana (SOMOIL) pretende duplicar, este ano, o volume dos investimentos com o objectivo de aumentar a capacidade de produção de petróleo nos blocos por si operados.

22/02/2021  Última atualização 07H05
No Bloco 2/05, considerado a jóia, a empresa pretende duplicar o produção nos próximos 18 meses © Fotografia por: DR
Segundo o presidente da Comissão Executiva (PCE), Edson dos Santos, que expressou profundo reconhecimento pela resiliência da empresa e dos trabalhadores que ao longo dos 20 anos contribuíram para o seu crescimento, 2021 é um marco importante, pois vai se cumprir o objectivo de serem uma empresa de energia integrada na classe mundial.
A prioridade, segundo o gestor, consiste em melhorar a área de segurança de pessoal e a integridade das suas instalações, factores importantes para uma operação em terra (Onshore).

"Nas associações FS-FST iniciamos a transição de tecnologia de levantamento artificial antiga dos anos 30 para métodos mais modernos (bombas a jacto em vez das hidráulicas) e os resultados iniciais têm sido bastante encorajadores, disse o responsável.
Edson dos Santos disse que, no segundo semestre do ano em curso, a empresa irá reiniciar as actividades de perfuração em terra inclu-indo os poços de produção e exploração.

"No Bloco 2/05 offshore, que consideramos a jóia da coroa, o objectivo é de duplicar a nossa produção nos próximos 18 meses”, sustentou o gestor.
Para atingir tal meta, Edson Santos disse que, o foco inicial está na reparação das infra-estruturas, na reabertura de poços e na melhoria do levantamento artificial (gás lift) usando o gás natural que no passado era queimado.

Neste momento, a empresa conta com o sucesso dos programas de redução de custos, que está focado no aumento da eficiência e na renegociação de contratos.
Disse também que, a pandemia da Covid-19 tem tornado o desafio ainda maior, "mas acreditamos na nossa equipa e com o suporte dos nossos parceiros alcançaremos os objectivos”.


Perspectivas

No sector de exploração e produção de petróleo (Upstream), o foco continuará a tornar-se numa operado-ra eficiente onshore e em águas rasas.
"Podemos operar mais eficientemente em campos petrolíferos maduros do que em algumas das empresas bem estabelecidas existentes actualmente no mercado”, reforçou o gestor.
A Somoil é das poucas operadoras que irá perfurar poços de exploração em 2021/2022 e irá participar activamente nos próximos concursos para os novos blocos petrolíferos.

"Estamos em fase adiantada de negociações para um novo desenvolvimento no Bloco 2/05 (greenfield) que irá aumentar as nossas reservas. Também estamos interessados em estabelecer parcerias com as outras entidades nacionais ou estrangeiras com as quais possamos melhorar as nossas capacidades como operador e crescer”, sustentou.
O sector de distribuição ("downstream”), que faz parte do plano, inclui o lançamento de postos de abastecimento da Somoil em todo o território nacional.

Na área das energias renováveis, a Somoil tem o foco na energia solar aonde antecipou um crescimento significativo nos próximos cinco anos.
Com uma força de trabalho directa de aproximadamente 300 colaboradores e mais de 400 indirectos (prestadores de serviços), a Somoil é operadora em três concessões petrolíferas no município do Soyo, nomeadamente FS, FST e Bloco 2/05 e é parceira em outros quatro blocos no offshore angolano – bacia do Congo.

Pedro Peterson

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política