Cultura

Director da Cultura defende valorização da dikanza

O resgate e maior valorização dos instrumentos musicais tradicionais passa pelo processo de dinamização e divulgação da matriz cultural nacional, defendeu, ontem, em Luanda, o director provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos.

06/04/2021  Última atualização 07H27
Jovens tem mostrado muito interesse durante as sessões de aulas realizadas em Luanda © Fotografia por: DR
Para Manuel Gonçalves, mentor do projecto "Tuxika hó Dikanza”, que este fim de semana, foi apresentado ao público do Benfica, no espaço Mercado Verde, a va-lorização destes instrumentos musicais é responsabilidade da sociedade e dos agentes culturais. "É preciso que estes incutam nos jovens o gosto por estes, em especial a dikanza, parte essencial da identidade angolana”, adiantou.

O projecto, recordou, foi inicialmente destinado aos alunos das escolas públicas do ensino primário e do I ciclo dos municípios e distritos urbanos de Luanda, assim como inclui a criação do Clube da Dikanza.

Outro ponto essencial deste projecto, que serve também de incentivo às actividades lúdicas, com pendor  artístico e cultural, ligadas a juventude, é o fomento da valorização das línguas nacionais.
"O foco principal de todo o projecto é a defesa da identidade nacional, por isso, o desafio é levar cultura às comunidades, com a parceria dos agentes culturais”, referiu, acrescentando que é preciso aproximar mais os instrumentos musicais tradicionais da nova geração. "É uma forma de garantir o resgate dos valores perdidos ao longo dos anos”.

A ideia, continuou, é também incentivar a descoberta de novos executantes da dikanza, assim como transformar o instrumento num produto de qualidade a ser mais valorizado.
O programa cultural de domingo incluiu, além das aulas básicas de dikanza, noções básicas de zumba. A iniciativa contou com a participação do mentor do projecto, o músico Jorge Mulumba, e exímios executores da dikanza, como Raul Tolinga, Zé Fininho e Didi da Mãe Preta.

Manuel Albano

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política