Mundo

Ghani acredita haver “espaço”para a paz

O Presidente do Afeganistão disse acreditar que há “uma oportunidade para acelerar o processo de paz” no país, após o anúncio da OTAN de que não tomou uma decisão final sobre a retirada das tropas.

23/02/2021  Última atualização 06H00
Presidente do Afeganistão, Ghani © Fotografia por: DR
Numa entrevista à emissora pública britânica BBC, Ashraf Ghani considerou que o anúncio da Aliança Atlântica pode ajudar a que todas as partes no conflito afegão cheguem à mesma conclusão: "que o uso da força não é uma solução”.
A OTAN tem quase 10 mil militares no Afeganistão, mas devido a um acordo entre os Estados Unidos e os talibãs estava previsto que se retirassem até ao mês de Maio, depois de 20 anos no país.

O Presidente afegão acredita que agora existe a oportunidade para se chegar a "um acordo político”, mas insistiu na necessidade de "um esforço conjunto” a nível internacional. O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, está a analisar o acordo alcançado pelo seu antecessor, Donald Trump.

Os militares norte-americanos chegaram ao Afeganistão após os atentados de 11 de Setembro de 2001.
Ghani disse ainda à BBC que está "encantado” com o relacionamento com a nova Administração em Washington e com a "coerência” da comunidade internacional em relação ao futuro do Afeganistão.

"Conto com a força da coerência para evitar tragédias. Há grande temor de um colapso na guerra civil”, indicou.
Em 2018 os talibãs já estavam activos em mais de dois terços do país e a violência tem aumentado nos últimos meses.
No entanto, Ghani rejeitou o receio de uma vitória militar dos talibãs, assinalando que o Afeganistão "não é o Vietname. O Governo não se está a desmoronar”.
"Da nossa parte existe um sentido de urgência, estamos dispostos a tomar decisões difíceis e elas serão necessárias. Quarenta anos de violência neste país são suficientes”, disse o Presidente afegão.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política