Mundo

Quatro capacetes azuis mortos em dois dias

Três capacetes azuis foram ontem mortos num ataque na região Norte do Mali, noticiou a AFP, que cita um funcionário da Missão das Nações Unidas de Estabilização do Mali (MINUSMA). “Durante uma operação de segurança, uma unidade da Minusma parou para desmontar um dispositivo explosivo, ficando sob fogo de homens armados não identificados”, lê-se numa declaração da força de manutenção da paz, citada pela AFP, que não especificou a nacionalidade das vítimas.

22/01/2021  Última atualização 10H15
© Fotografia por: DR
Na véspera, um outro "capacete azul” da Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização do Mali (MINUSMA) morreu e outro ficou ferido, em Tessalit, no extremo-norte do Mali, depois de o camião em que seguiam ter accionado uma mina. Esta onda de ataques acontece no mesmo dia em que o Conselho de Segurança da ONU expressou satisfação e "optimismo cauteloso” pelos progressos de estabilização no país, embora mantendo uma grande preocupação perante a violência inter-comunitária.

Na quarta-feira, as autoridades do Mali proibiram, alegando razões sanitárias, uma manifestação contra a presença da força militar francesa no país. A manifestação, prevista para o Monumento à Independência, um local de encontro tradicional no centro da capital maliana, "não é permitida devido às medidas anti-Covid-19”, disse o governador de Bamako, Daniel Dembélé, citado pela Agência France Press (AFP).Esta presença militar tem sido contestada nas redes sociais e por personalidades e movimentos da sociedade civil durante manifestações episódicas em Bamako.

A transição no país continua a ser dominada pelos militares, que desde o início têm afirmado o empenho na cooperação militar com a França. "Gostaria de renovar a gratidão do nosso país à comunidade internacional cujos exércitos estão ao nosso lado e cujos soldados estão a arriscar as vidas pela libertação do nosso país”, disse o presidente do Governo de transição, Bah Ndaw, na terça-feira à noite, por ocasião do 60º aniversário do Exército do Mali.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política