Cultura

Vencedores recebem prémios

Os prémios dos três grupos melhores classificados das classes A e B (adultos) do Carnaval de Luanda de 2021, edição no formato live, que decorreu nas instalações do Centro de Produção da Televisão Pública de Angola (TPA), foram entregues, ontem, no novo Arquivo Nacional de Angola, em Camama.

21/02/2021  Última atualização 15H27
União 10 de Dezembro foi o grande vencedor da edição deste ano do Carnaval de Luanda 2021 © Fotografia por: Agostinho Narciso |Edições Novembro
Os grupos receberam os prémios, em cheques, das mãos do ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, que esteve acompanhado do director nacional da Cultura, Euclides da Lomba, e do representante da Associação Provincial do Carnaval de Luanda (Aprocal), Massano Júnior e do presidente do júri, Domingos Nguizani.

Na cerimónia, que começou com duas horas de atraso, os primeiros premiados foram os vencedores da classe B, seguindo-se os da classe A. O União Domante, primeiro classificado da classe B, recebeu um milhão e 500 mil kwanzas, seguido do grupo União Operário Kabocomeu, segundo, um milhão, e o União Kwanza, terceiro, 750 mil kwanzas.

O vencedor da classe A, do Carnaval live de Luanda 2021, União 10 de Dezembro, arrecadou dois milhões de kwanzas e o União Jovens da Cacimba, segundo classificado, um milhão e 500 mil. O grupo União Sagrada Esperança, terceiro, recebeu um milhão de kwanzas. A comandante do grupo carnavalesco União Kiela, Maravilha dos Santos, será homenageada, em breve, por ocasião do lançamento da revista do Carnaval, num reconhecimento ao trabalho desenvolvido ao longo dos anos , em prol da preservação da Cultura nacional.


Parcerias com  as universidades

Em declarações, ontem, à imprensa, o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato incentivou a investigação universitária a estar mais próxima de toda a estrutura do Carnaval, para o conhecimento da história e perfil artístico das grandes referências do passado, da maior manifestação artística do país.

O ministro disse que os temas sobre o Entrudo devem ser propostos pelos professores universitários para teses de pós-graduação, na dimensão sociológica e artística, motivando o surgimento de títulos bibliográficos sobre a "Festa do Povo”.
Jomo Fortunato recordou que o Carnaval tem uma história secular e grupos que devem constituir matérias de investigação no mundo académico.

"É urgente recuperar, para estudo, a dimensão material e imaterial do Carnaval, que incluem pinturas, esculturas, adereços, literatura, canções, linguagem e costumes ligados a aspectos da filosofia e estética do Entrudo”, disse.

Manuel Albano

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política