Desporto

Confederação está confiante na representação continental

O angolano Pedro Godinho, vice-presidente da Confederação Africana de Andebol (CAHB), está confiante numa prestação aceitável dos representantes do continente na 27ª edição do Campeonato do Mundo, que começa a ser disputado hoje no Egipto.

13/01/2021  Última atualização 15H18
Angolanos e congoleses democratas vão procurar dignificar o andebol praticado em África © Fotografia por: Vigas da Purificação| Edições Novembro
O responsável fez saber que a CAHB tomou conhecimento dos planos de preparação das distintas selecções, daí acreditar que tenham condições de fugir do último lugar dos respectivos grupos.O continente africano é representado por sete selecções, mais duas do que era de esperar. O continente tem direito a uma quota de cinco selecções, uma vaga a mais foi ganha através da prestação do Egipto no último mundial, onde alcançou os quartos de final, e outra pelo facto de o país ser anfitrião.

Estão inscritos além do Egipto, detentor do título continental, a Tunísia (prata), Argélia (bronze), Angola, Marrocos, RDC e Cabo Verde. Congoleses e cabo-verdianos jogam o mundial pela primeira vez. "Cabo Verde é estreante e, pelo que mostrou no "Africano”, tem 90 por cento dos seus atletas na Europa; teve uma preparação cuidada e pode ser uma agradável surpresa. Igualmente, a RDC fez um plano de preparação bom, que deu a conhecer à CAHB. Tem também muitos jogadores em equipas europeias, e acredito que pode fugir do último lugar do seu grupo”, analisou.

Sobre Angola, Pedro Godinho disse apenas que "na preparação efectuada a equipa ganhou balneário e entrosamento”. "Acredito que as seis equipas africanas têm sérias possibilidades de não terminarem a primeira fase em último, o que lhes fará fugir dos seis últimos lugares da classificação geral”, comentou.

Sobre a possibilidade de intromissão africana na fase do título, o ex-presidente da Federação Angolana de Andebol(FAAND) crê que ainda não é o momento.  "As equipas europeias estão a sair de uma competição. Estão a um bom nível e creio que ainda há umas seis equipas europeias que estão muito melhores do que o Egipto. Por outro lado, o Egipto tiraria vantagem do calor fervoroso dos seus adeptos, mas a jogar em igualdade de circunstâncias não creio que chegue além das meias-finais. Digo a mesma coisa sobre a Tunísia”, perspectivou.

A primeira equipa africana a entrar em cena no mundial, é o Egipto que joga hoje, para o grupo G, diante do Chile para marcar a abertura da prova. Argélia e Marrocos jogam na abertura do grupo F, amanhã. Angola entra em cena na sexta-feira, diante do Qatar, para o grupo C.  No mesmo dia, a RDC defronta a Argentina, para o grupo D, enquanto a Tunísia joga com a Polónia no grupo B. Também no dia 15, Cabo Verde vai defrontar a Hungria, em jogo que conta para o grupo A.

Silva Cacuti

Jornalista

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo

Opinião

Política